Informações sobre planos
Curitiba (41) 3242-1212
Porto Alegre (51) 3333-6000
Rio de Janeiro 4000-1987

31 de maio: Dia Mundial sem tabaco

No Brasil, o número de fumantes diminuiu nos últimos 25 anos, mas, mesmo assim, ocupamos o oitavo lugar no ranking de número absoluto Você conhece os riscos que o tabagismo pode causar na sua vida? O mais conhecido inimigo do pulmão também pode trazer doenças para o coração, câncer e outras enfermidades. Ou seja, o […]

No Brasil, o número de fumantes diminuiu nos últimos 25 anos, mas, mesmo assim, ocupamos o oitavo lugar no ranking de número absoluto

Você conhece os riscos que o tabagismo pode causar na sua vida? O mais conhecido inimigo do pulmão também pode trazer doenças para o coração, câncer e outras enfermidades. Ou seja, o tabagismo tem grande impacto sobre a saúde cardiovascular, além de causar dependência física, psicológica e comportamental semelhante ao que ocorre com o uso de outras drogas.

Para alertar sobre os males que o seu consumo traz, o mês de maio foi o escolhido pela Organização Mundial de Saúde (OMS) para lembrar sobre as doenças e mortes evitáveis relacionadas ao tabagismo. A Ecco Salva entende a importância desse assunto e presta um serviço de conscientização à população.

No Brasil, o número de fumantes diminuiu nos últimos 25 anos, mas, mesmo assim, ocupamos o oitavo lugar no ranking de número absoluto de fumantes quando o assunto é o consumo de tabaco: só no ano passado, a OMS contabilizou 7,1 milhões de mulheres e 11,1 milhões de homens dependentes do fumo.

Não importa se o tabaco é consumido por cigarros, charutos, cachimbos e narguilés… todas as formas são prejudiciais à saúde. O seu consumo mata uma média de sete milhões de pessoas todos os anos, dentre elas, aproximadamente 900 mil não são fumantes, e acabam perdendo a vida por doenças relacionadas ao fumo passivo.

Com o tempo de consumo, seu organismo pode passar a desenvolver doenças do coração e outras cardiovasculares (DCV), incluindo Acidentes Vasculares Cerebrais (AVC) que, combinadas, são as principais causas de morte no mundo.

Tabagismo, hipertensão, diabetes e colesterol elevado são considerados os principais fatores de riscos para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares. O consumo de tabaco, especificamente, é um dos fatores com maior impacto no desenvolvimento de tais doenças. “Entre os quatro fatores mencionados, o tabagismo é considerado um fator de risco modificável, pois seu uso depende da vontade do usuário. Ou seja, hipertensão arterial, diabetes e colesterol elevado têm uma contribuição genética muito importante para seu desenvolvimento e, por isso, não conseguimos apagar o que está escrito no nosso DNA. Se estas doenças aparecem, temos que tratá-las e pronto. Já o tabagismo necessita da vontade do usuário para esse fator de risco ser eliminado, que sabemos que não é fácil”, explica Marcos Michelin, cardiologista e diretor-médico da Ecco Salva, em Porto Alegre.

SE FAZ TÃO MAL, PORQUE AS PESSOAS FUMAM?

A nicotina, presente em qualquer derivado do tabaco é considerada droga por possuir propriedades psicoativas. Ao ser inalada, produz alteração no sistema nervoso central, trazendo modificação no estado emocional e comportamental do usuário que pode induzir ao abuso e dependência. Se você não consegue parar de fumar sozinho, procure um tratamento especializado. Geralmente, a Secretaria Municipal de Saúde dos municípios dispõem de informações mais detalhadas.

Michelin esclarece que as doenças relacionadas ao tabagismo também estão relacionadas com as urgências e emergência médicas. “Doenças como infarto agudo do miocárdio, acidente vascular cerebral (derrame) e insuficiência respiratória por enfisema pulmonar, intimamente ligadas ao consumo de tabaco, são frequentes entre as solicitações de atendimento médico domiciliar de urgência”, finaliza o cardiologista.

ATENÇÃO AOS NÚMEROS!

Para quem fuma, muitas atitudes (conscientes ou não) levam a pensar no cigarro. Para quebrar o ciclo, é necessário identificar quais são esses gatilhos e mudar a rotina para, finalmente, eliminar o hábito. A lista de males é extensa e assusta. Mas cada item é também um bom motivo para a decisão de largar o cigarro. Vale saber que:

:: No Brasil, as doenças cardiovasculares são responsáveis por quase 30% de todos os óbitos registrados no país anualmente, ocorrendo, em muitos casos, em indivíduos em idade produtiva (entre 35 e 64 anos);
:: Os não fumantes que respiram a fumaça do tabaco têm risco aumentado de desenvolver doenças cardíacas em 25 a 30%;
:: De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), as doenças cardiovasculares são as principais causas de morte em todo o mundo (17,7 milhões de pessoas todos os anos).

É HORA DE PARAR DE FUMAR

Além disso tudo, é sabido que o fôlego de quem tem precisa de tabaco diminui. Das situações abaixo, quais você já vivenciou? Quanto mais alto o número de ações pelas quais você já passou, maior o alerta para parar de fumar. Anote quantas dessas situações você já viveu. Quanto maior o número, maior deve ser a sua atenção.

1) Mal abre os olhos e já tateia o maço de cigarros
2) Seus dentes estão amarelados
3) É impossível subir as escadas do seu prédio ou de qualquer outro lugar, pois te falta fôlego
4) Já se pegou sozinho na rua, de madrugada, procurando por cigarros
5) Sua casa tem “buraquinhos” que o cigarro deixou
6) Não consegue ficar mais que uma hora num mesmo lugar, sem precisar sair para fumar
7) Tem colegas te oferecendo balas e chicletes
8) Seu paladar ainda é o mesmo? Ou tudo te lembra um retrogosto de tabaco
9) Cinzeiros são parte decorativa da sua casa
10) Use de um cigarro para acender outro, ou seja, não consegue fazer um mínimo intervalo entre uma baforada e outra.