Informações sobre planos
Curitiba (41) 3242-1212
Porto Alegre (51) 3333-6000
Rio de Janeiro 4000-1987

Ainda dá tempo de se proteger contra a gripe

Campanha Vacinação contra a Gripe (influenza) vai até o final do mês Quem ainda não tomou a vacina contra a gripe (influenza) tem até dia 31 de maio para receber a dose na campanha do Governo Federal, que pode ser recebida em unidades de saúde de todo o país. A campanha nesta fase destina-se a […]

Campanha Vacinação contra a Gripe (influenza) vai até o final do mês

Quem ainda não tomou a vacina contra a gripe (influenza) tem até dia 31 de maio para receber a dose na campanha do Governo Federal, que pode ser recebida em unidades de saúde de todo o país. A campanha nesta fase destina-se a grupos prioritários, formados por pessoas com maior probabilidade de uma imunidade mais baixa. Confira se você faz parte:

* Pessoas com mais de 60 anos
* Crianças de 6 meses a menores de 6 anos
* Gestantes
* Mães no pós-parto (até 45 dias)
* Pessoas com necessidade especiais
* Doentes crônicos
* Professores
* Profissionais de saúde
* Profissionais das forças de segurança e salvamento

As doses remanescentes serão disponibilizadas a toda a população nas unidades de saúde após a campanha, mas quem não se enquadra neste grupo e quer tomar a vacina logo, pode buscar em clínicas particulares, onde existe também a vacina tetravalente, constituída de dois tipos de influenza A e dos dois tipos de influenza B. Já o Ministério da Saúde disponibiliza a vacina trivalente para a população, produzida com as cepas que circularam anteriormente em nossos meios.

COMO SE PROTEGER

Juradilson de Santis Junior, diretor-médico da Ecco Salva em Curitiba, explica que a vacina é o único meio de combate à gripe, mas podemos nos prevenir com cuidados simples. “Manter a higiene pessoal, como lavar as mãos frequentemente, evitar aglomerações e manter os ambientes limpos e arejados ajudam na prevenção. Além desses, atitudes como cobrir a boca ao tossir ou espirrar, evitar dividir copos e talheres são sempre positivos para evitar contágio. Outra iniciativa importante é fazer
hidratação constante, alimentação equilibrada e exercícios físicos regulares, afinal, uma vida saudável sempre ajuda a prevenir, tanto nessa como em outras doenças”, sentencia o médico.

De Santis alerta, ainda, para as informações equivocadas sobre a vacina que têm circulado ultimamente. “Não se deixe levar por falsas notícias de que a vacina é perigosa. Ela é segura, eficaz e não causa a doença. Pequenas reações podem ser esperadas, como febre baixa e dor no local da aplicação, mas não significa que cause algo grave”, finaliza.

Importante lembrar: se estiver com uma infecção grave ou moderada, evite receber a vacina neste período, pois os sintomas podem confundir a evolução e o tratamento da sua doença. Converse com seu médico ou, se você for um associado Ecco Salva, ligue para nossa Central de Comunicação e receba orientação de nosso médico.

Dúvidas sobre a vacina ou a doença, ligue de graça para o Disque Saúde pelo número 136, que é a ouvidoria do Ministério da Saúde.