Informações sobre planos
Curitiba (41) 3340-8787
Porto Alegre (51) 3333-6000
Rio de Janeiro 4000-1987

Como manter a saúde mental durante a pandemia

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o Brasil é o país que apresenta maior prevalência de depressão na América Latina. É também o país mais ansioso do mundo. E, para profissionais da psiquiatria, a solidão é reconhecida como um gatilho – um impulsor – de transtornos de humor.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o Brasil é o país que apresenta maior prevalência de depressão na América Latina. É também o país mais ansioso do mundo. E, para profissionais da psiquiatria, a solidão é reconhecida como um gatilho – um impulsor – de transtornos de humor.

Frente a um cenário de pandemia, a comunidade médica se preocupa que uma epidemia paralela afete a saúde mental da população brasileira. O aumento do sofrimento psicológico, dos sintomas psíquicos e dos transtornos mentais já dão indícios nesse período que foi marcado como o primeiro pico dos casos.

Visando suprir uma demanda alta e ajudar as pessoas a compreenderem esse momento tão intenso, diversos profissionais de psicologia passaram a realizar sessões on-line. Este serviço experimentou um crescimento muito grande em sua procura nos últimos meses e vem conquistando cada vez mais adeptos.

Entre os benefícios de frequentar um psicólogo estão: motivação, melhora nos relacionamentos interpessoais, autoconhecimento e aliviar conflitos.

Porém, apesar de ser um serviço extremamente necessário, o atendimento psicológico pode ser muito caro ou de difícil acesso. Mas surgira em diversos locais serviços gratuitos ou de baixo custo para quem quiser se aprofundar no autoconhecimento. Confira a lista:

Projeto Meraki

Programa feito por psicólogos com a intenção de entregar consultas sociais para aqueles que não podem arcar com os valores de uma sessão de terapia particular.

Para se candidatar, basta responder o formulário de perguntas do projeto e aguardar o retorno.

Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo (Ipusp)

A Clínica Psicológica Durval Marcondes, do Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo (Ipusp), oferece serviços de ajuda psicológica de forma gratuita e on-line.

O Projeto Apoiar atende adolescentes e pessoas maiores de 18 anos que manifestem sofrimento psíquico relacionado à pandemia e isolamento social. Já o Plantão de Acolhimento Psicológico (PAP), atende pessoas maiores de 18 anos e oferece escuta e cuidados em momentos emergenciais. Este atendimento é realizado por alunos da graduação de psicologia e supervisionado pela coordenação do projeto.

Para mais informações ou para se inscrever no processo de triagem, entre em contato com o Ipusp pelo e-mail clinica@usp.br ou ou pelo telefone (11) 3091-8248.

Clínica Social Casa 1

Este projeto oferece terapia gratuita ou de baixo custo para populações vulneráveis, especialmente para a comunidade LGBTQ+ e pessoas pretas. A Clínica, ainda oferece acompanhamento com nutricionistas, plantão de escuta e outras modalidades de terapias complementares.

Para se candidatar, entre em contato pelo e-mail centrocasaum@gmail.com

Associação Brasileira de Psicodrama (ABPS)

Este centro de formação oferece atendimentos psicológicos para a população geral. A terapia é feita por psicólogos já graduados e tem como valor social mínimo R$ 160 para 4 sessões.

Entre em contato pelo site abps.com.br/psicoterapia ou pelos telefones (11) 5571-2602/ 5575-5994.

PUC-SP

Além de oferecer sessões convencionais de terapia, a Clínica Psicológica Ana Maria Poppovic, da PUC-SP, também atende demandas específicas como luto, relacionamentos, trabalho e outros.

O atendimento é feito online e de maneira gratuita. Para iniciar o tratamento, é preciso agendar uma triagem. Ligue para (11) 3862-6070.

4 DICAS PARA CUIDAR DA SAÚDE MENTAL NA PANDEMIA

Além dos cuidados profissionais, existem pequenas ações no cotidiano que podem ajudar no processo de lidar com a pandemia e com o distanciamento social. Confira algumas dicas para iniciar uma rotina mais leve e de autocuidado:

Lembre-se que você não está sozinho. Todos estão na mesma situação. E, apesar disso, cada um encontra uma melhor forma de lidar com este momento. Não se compare com outras pessoas e tente encontrar o que mais funciona para você.

Este é um momento intenso e fora do comum. É completamente normal se sentir triste, assustado e/ou menos produtivo que o habitual. Uma pandemia e o distanciamento social geram diversas emoções que são difíceis de lidar. Novos sentimentos são esperados. Não se cobre para estar bem 100% do tempo.

Observe suas demandas internas. Abafar e ignorar sentimentos não é saudável. Tente colocar tudo o que está acontecendo no mundo em perspectiva e relacione ao que você está sentindo – estão interligados? Se colocar como parte do todo vai trazer autoconhecimento e facilitará encontrar o equilíbrio da situação.

Limite o tempo ligado nas notícias. É importante estar informado, mas são muitos processos acontecendo ao mesmo tempo – e todos eles bastante intensos. Mudanças na rotina de trabalho, no relacionamento com amigos e família, dilemas políticos e financeiros em todo o mundo. Estipule quanto tempo do seu dia você pode se dedicar ao consumo de notícias e, se necessário, reduza. Não se esqueça de buscar fontes oficiais para evitar notícias falsas.

Fontes: Pfizer e Manual do Homem Moderno

Foto de Julia M Cameron no Pexels