Informações sobre planos
Curitiba (41) 3340-8787
Porto Alegre (51) 3333-6000
Rio de Janeiro 4000-1987

Eles também precisam se cuidar

No mês em que comemoramos o Dia dos Pais, a Ecco Salva busca conscientizar para o cuidado da saúde do homem

“Homem de verdade é resistente e sem medo; é um chefe de família provedor, que faz de tudo para manter seus filhos bem e está sempre disponível para ajudar os amigos.” Esta descrição reflete uma visão antiquada de que os homens são infalíveis e responsáveis por cuidar de todos ao seu redor. Porém, este modelo de personalidade masculina fez surgir um tipo de comportamento neles que descuida da própria saúde. Neste Dia dos Pais, a Ecco Salva aborda a saúde do homem, mostrando como eles podem ser ainda mais relevantes se cuidarem de si.

De acordo com um levantamento do Centro de Referência em Saúde do Homem, 70% dos homens que procuram um médico, o fazem por influência de familiares. Ou seja, a maioria deles não tem este hábito, não à toa muitas doenças crônicas afetam mais eles do que elas.

Segundo Juradilson de Santis, diretor-médico da Ecco Salva em Curitiba, é natural que as mulheres visitem o médico com maior frequência, uma vez que seu desenvolvimento e suas atividades hormonais são mais precoces que os homens e, por isso, desde muito cedo elas adquirem o hábito de visitar o médico sem estarem doentes diferentes do sexo masculino. “Também devemos levar em conta que o sistema reprodutor feminino opera através de ciclos e os do homem não. Os exames preventivos exclusivamente masculinos são aqueles referentes a função reprodutora, principalmente os da próstata”, esclarece ele.

Em média, mulheres vivem sete anos mais que os homens

Segundo o IBGE, a expectativa de vida do homem brasileiro (72,9) é quase sete anos menor que das mulheres brasileiras (79,4). Vale ressaltar que entre os principais motivos para essa diferença estão a violência, acidentes de trânsito, doenças cardiovasculares e infartos.

De Santis destaca que os cuidados com a saúde são importantes desde a primeira infância. “Este fator é muito dependente da criação que recebemos de nossos pais e cuidadores. Todas as pessoas devem manter hábitos saudáveis, que incluem boa alimentação, atividades físicas regulares, evitar sedentarismo e visitar regularmente o médico como forma preventiva, desde a infância até a vida adulta”, explica o médico.

O cenário de descuido dos homens em relação à própria saúde fez com que fosse criado o Agosto Azul, por meio da Lei N° 17.099, em 2012. Dessa maneira, o mês passou a ser dedicado para estimular a prevenção e os cuidados com a saúde do homem. O objetivo é conscientizá-los sobre a importância de procurar atendimento médico e realizar consultas de rotinas, como aferir pressão e fazer teste de diabetes.

Segundo o diretor-médico, estas são as doenças mais comuns nos homens:
Doenças cardiovasculares;
Hipertrofia Prostática;
Obesidade;
Andropausa;
Tabagismo (problemas pulmonares e grande relevância da pneumonia);
Cirrose e doenças do fígado;
Câncer de próstata;
Incontinência urinária;
Varicocele;
Impotência.

Para de Santis, não existe uma idade certa para começar o acompanhado médico. Independente de sexo, ele indica que as pessoas devem fazer acompanhamento durante toda a vida, começando na infância e mantendo rotineiramente as visitas ao médico. “A pessoa que mantém uma rotina de pelo menos uma visita anual ao médico, terá seus exames realizados sempre de acordo com a necessidade da idade. Assim, seus hábitos e sua genética são avaliados pelo médico que o acompanha e qualquer eventual problema pode ser cuidado com mais assertividade”, finaliza.

Enfim, ser pai não é ser super-herói. É, antes de tudo, cuidar da própria saúde e dar exemplo para seus filhos.