Informações sobre planos
Curitiba (41) 3340-8787
Porto Alegre (51) 3333-6000
Rio de Janeiro 4000-1987

Hábitos que ficam

A pandemia levou as pessoas a desenvolver novas rotinas e muitas delas são benéficas de deverão ser mantidas

O período vivido até agora da pandemia da Covid-19 criou na grande maioria das pessoas a adoção de novos hábitos. Esta nova rotina trouxe atitudes que agregam benefícios para um novo modo de viver e que, como muito acreditam, deveriam ser incorporadas à vida das pessoas naquilo que possamos a nomear de novo normal. A higienização frequente das mãos e os cuidados para lidar com a ansiedade são pontos que especialistas apontam como centrais a partir deste novo momento. 

Neste contexto, a adoção do trabalho em home office ditou uma realidade em que dividir espaço com a família, ficar distante dos amigos, cuidar das tarefas domésticas e ajudar os filhos a terem aulas são situações que passam a ser corriqueiras.

A tecnologia veio como forte aliada de quem vive sozinho que, por meio de vídeo chamadas mensagens e telefonemas pode se aproximar dos amigos e lidar melhor com a solidão e a ansiedade 

Adotar práticas que buscam o equilíbrio mental, como meditação e yoga, se tornaram fortes aliados e devem ser mantidos. Outros hábitos que entram nesta lista são a prática de exercícios físicos em casa, o tempo a mais com os filhos, o cuidado com idosos e o consumo consciente.

Higienização

Limpar as mãos com água e sabão é uma das formas de evitar a contaminação não somente pela Covid-19, mas também por outros vírus, bactérias e fungos. A higienização frequente diminui em mais de 40% o número de casos de doenças como conjuntivite, gastroenterite e gripes, entre outras enfermidades, segundo o Ministério da Saúde. O ideal é que este hábito permaneça no dia a dia.

Atenção aos idosos

Os mais velhos têm maior risco de desenvolver formas mais graves da doença e precisam de cuidados extras, principalmente em relação ao isolamento social. Uma das grandes reclamações de pessoas acima de 60 anos é a solidão. O cuidado com eles deve ser mantido, aproveitando a aproximação quando for possível.

E as crianças?

Uma das reclamações de pais é o pouco tempo que passam com os filhos. Na quarentena, muitos têm a oportunidade de se aproximar, brincar e fazer atividades do dia a dia, como o dever de casa. Com o home schooling de muitos, alguns pais redescobrem o prazer de ajudar no ensino dos pequenos em casa.

Consumo consciente

Aprender a comprar menos e melhor, incentivar pequenos negócios, entender e valorizar o trabalho de entregadores e demais funcionários de serviços essenciais são hábitos para se levar adiante.

Saúde calibrada

Nunca se falou tanto em fortalecer a imunidade, já que a forma mais grave da Covid-19 se manifesta, em sua maioria, em pessoas com a saúde mais debilitada. Saber como se alimentar melhor para melhorar as defesas, hidratar-se e praticar exercícios físicos são importantes em qualquer momento da vida.

Organização

Aprender a organizar o tempo é outro ensinamento importante. A mudança de rotina com o isolamento, para quem pode ficar em casa, faz com que muitas pessoas aprendam a dividir as atividades do dia e a ter um manejo melhor do seu tempo, encontrando espaços para momentos, por exemplo, de leitura e meditação.

Na prática

Com mais tempo em casa, muitas pessoas desenvolvem novas habilidades que, em sua rotina normal, não teriam tempo; em geral, através de cursos e tutoriais online, aperfeiçoando idiomas ou aprendendo a cozinhar. A própria ideia de home office é novidade para muitos, que, assim, aprendem a se comunicar online e a usar novas ferramentas.

Tarefas domésticas

Sem poder contar com a ajuda de funcionários, muitos têm que assumir atividades domésticas. Segundo especialistas, participar dessas tarefas do dia a dia é importante principalmente dentro de famílias, porque cria uma nova dinâmica de divisão de tarefas, responsabilidade e parceria. Mesmo que em menor nível, alguns desses hábitos devem continuar após o fim do isolamento.

Novos hobbies

O distanciamento pode ajudar a desenvolver hobbies novos, como cozinhar ou costurar. Por que não levar as habilidades adquiridas para seu cotidiano depois da quarentena? O momento pode servir também como lição, dizem os psicólogos, de que sempre é tempo de aprender algo novo. Desenvolver conhecimentos é bom para a saúde do cérebro e eleva a autoestima.

Malhando em casa

O momento pode levar muitos sedentários a fazer exercícios em casa, seja por tédio, por tempo livre ou mesmo para aliviar a tensão. Quem já praticava agora encontra novas formas de se manter ativo. Aprender atividades que podem ser feitas em casa, ou adquirir o hábito de praticar exercícios, deve ser uma constante.

Controle da ansiedade

O isolamento social pode engatilhar crises de ansiedade e solidão. Lidar com os próprios pensamentos e sentimentos e saber controlar os impulsos, afirmam psicólogos, são atitudes fundamentais para uma mente mais saudável, auxiliando em outros momentos da vida.

Na hora do aperto da solidão, muitos buscam conselho terapêutico online, oferecido por diversos profissionais. Grupos de apoio para amenizar a solidão e a ligação de amigos também são imprescindíveis. Com o isolamento, muitas famílias perdem sua renda e contam com a solidariedade dos demais. Não ter medo de buscar ajuda, assim como oferecer, deve permanecer na rotina.

As pequenas coisas

A limitação de realizar atividades antes rotineiras e que passam despercebidas pode levar a valorizar os pequenos prazeres da vida, como encontrar amigos, pegar sol ou caminhar nas ruas. Especialistas afirmam que viver esses momentos com mais consciência ajuda na saúde mental e no bem-estar de todos.

Fonte: O Globo