Informações sobre planos
Curitiba (41) 3340-8787
Porto Alegre (51) 3333-6000
Rio de Janeiro 4000-1987

Maternidade com qualidade de vida

Neste Dia das Mães, vamos relembrar dos desafios da maternidade e da importância do equilíbrio na vida moderna

A maternidade proporciona uma experiência de amor ímpar, e com ele um grande senso de responsabilidade que transforma prioridades e reorganiza valores. Esta situação complexa é ainda mais desafiadora no contexto da sociedade em que vivemos hoje em dia. Mas é sempre tempo de celebrar nossas mães, e a Ecco Salva vai homenagear a pessoa mais especial da vida de todos nós e suas nuances na vida profissional e pessoal na atualidade com esta reportagem especial.

Ao contrário do que algumas profissionais mamães temiam, um estudo feito por pesquisadores da Harvard Business School, publicado em 2018, constatou que crianças criadas por mulheres que têm uma carreira são tão felizes quanto as que tiveram a presença das mães no lar durante a infância e ainda tendem a ser adultos que conseguem administrar melhor o desenvolvimento profissional e o suporte familiar.

Superada a culpa de ser mãe e precisar deixar os filhos para trabalhar, as mulheres precisam lidar com a tendência de sofrerem 18% mais estresse do que as profissionais sem filhos (segundo a Pesquisa Longitudinal do Reino Unido). Para nos ajudar a entender melhor a importância do autocuidado e ainda falar sobre o aleitamento materno, conversamos com Paola Moretti, médica da Ecco Salva.

Paola esclarece que poder contar com ajuda de profissionais de confiança e da família, além de cuidar da própria saúde física e mental, permitem à mãe que trabalha reduzir o estresse. “O trabalho é importante para viver bem, mas dinheiro não é tudo, é importante ter qualidade de vida, estar presente na vida dos filhos, ter contato com a natureza, educar com afeto, ter equilíbrio”, opina a doutora, que atua há cinco anos nas unidades de atendimento da Ecco Salva, é clínica geral e especialista em Psiquiatria.

Aleitamento materno

Adepta do aleitamento exclusivo e de livre demanda, como recomenda o Ministério da Saúde, a médica conta que foi importante ter clareza de que a amamentação não é um conto de fadas, mas traz benefícios relevantes para mãe e para a criança. “No início vem pouco leite, doí, mas depois que pega o ritmo e o bebê acerta o jeito de pegar no seio, tudo melhora. É importante seguir as recomendações médicas, preparar o mamilo, cuidar para não dar rachaduras”, ela ensina.

A opção pela livre demanda, ou seja, alimentar o bebê sempre que ele pedir, exige 100% de dedicação, principalmente até criar a rotina de alimentação, mas vai regularizando com o tempo. Outras mães preferem o aleitamento de três em três horas. O importante é que mães e filhos se sintam bem e possam contar com a orientação do pediatra de confiança.

Em entrevista ao portal da Fiocruz, a coordenadora técnica de Saúde Mental do Instituto Nacional de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira (IFF/Fiocruz), Maria Jacqueline de Vicq, afirma quem o vínculo mãe-bebê fortalecido no momento da amamentação é a primeira relação social do bebê (com a figura da mãe) e isso vai ser muito importante para seu desenvolvimento social.

Sete benefícios do aleitamento materno:

  • reduz as chances de a mãe desenvolver câncer de mama;
  • nutre o bebê de forma completa e equilibrada e aumenta a sua imunidade;
  • maior contato com a mãe;
  • melhora a digestão e minimiza as cólicas;
  • desenvolve a inteligência;
  • reduz o risco de doenças alérgicas;
  • estimula e fortalece a arcada dentária.