Informações sobre planos
Curitiba (41) 3340-8787
Porto Alegre (51) 3333-6000
Rio de Janeiro 4000-1987

Pais idosos: quais são os principais desafios e cuidados?

No momento em que novos papeis são atribuídos aos filhos e pais, ter um plano de atendimento pré-hospitalar é fundamental

Lidar com o envelhecimento dos pais não é tarefa fácil para grande parte dos filhos. Muitos demoram a se adaptar à ideia de que o pai e a mãe passaram para uma fase mais madura e que podem precisar de cuidados diferenciados. Nesse momento, o choque pelo entendimento de uma nova rotina familiar fala mais alto e é necessário um período de aceitação e adaptação para que tudo flua de forma mais harmoniosa e tranquila.

Mas por mais que se tente negar a situação, em algum momento será necessária a tomada de consciência acerca do fato que o tempo também passa para os pais. A disposição e a vitalidade antes apresentadas por eles já não são mais a mesma. Perdas sensoriais, físicas ou cognitivas podem surgir. Soma-se a tudo isso as particularidades de cada um, afinal, ninguém envelhece do mesmo modo.

Afinal, seria esse o momento em que os filhos tomam o papel dos pais? Talvez essa pergunta seja muito arriscada, mas o fato é que nesse cenário, novos papeis são atribuídos a cada integrante da família. E algumas vezes, os filhos tomam algumas das responsabilidades que antes cabiam aos seus genitores. Nesse momento, é importante que os filhos estejam preparados.

Mas como estar próximo dos pais e oferecer suporte diariamente diante de uma rotina acelerada? Como aumentar a proteção em caso de imprevistos? É possível oferecer auxílio, mesmo de longe? O diretor-médico da Ecco Salva, Juradilson de Santis Junior, diz que as preocupações podem ser sanadas a partir do momento em que se encontre o suporte adequado. “É importante entender que essa nova fase é desconhecida tanto para os idosos quanto para os filhos, mas é possível atender cada caso em especial”, garante.

Cuidados especiais com os idosos

Um dos pontos principais durante o trato com os pais é entender as necessidades de cada idoso, já que a terceira idade pode trazer algumas complicações e doenças bastante distintas. Segundo dados de 2019 do Governo Federal brasileiro, o Mal de Alzheimer afeta 11,5% da população idosa do país.

Além disso, atualmente, 1,4 milhão de brasileiros vivem com demência e, com o envelhecimento acelerado da população mundial, estima-se que até 2050 esse número aumente para mais de seis milhões, diz a Organização Mundial da Saúde (OMS).

Outras complicações comuns entre a população idosa incluem problemas cardiovasculares (infarto, angina, insuficiência cardíaca), além de derrames (acidente vascular cerebral, o AVC), diabetes, osteoporose e Parkinson.

O diretor-médico da Ecco Salva ponta que para todos esses casos, um serviço essencial é o atendimento pré-hospitalar, também chamado de APH. “Não adianta ter um grande plano de saúde, inclusive com um bom acompanhamento médico se houver uma situação de emergência e você não conseguir chegar ao hospital ou pronto- socorro”, argumenta.

O atendimento pré-hospitalar presta assistência ao paciente no local da ocorrência, faz o transporte do paciente e, ainda, se ocupa da chegada do enfermo ao hospital. “Se contam com o atendimento pré-hospitalar, os filhos têm a tranquilidade e segurança de saber que a saúde dos seus pais está completamente amparada, com uma cobertura de qualidade para qualquer ocorrência de emergência ou urgência”, garante de Santis Junior.

Para melhor entendimento, o diretor-médico diferencia as situações de emergência e de urgência. Emergência é aquela com risco iminente de morte, geralmente de início súbito e com severo comprometimento de um ou mais órgãos vitais. As de urgência são todas as situações em que embora não exista risco iminente de morte poderá trazer prejuízo ou outros riscos. Assim, é necessário um atendimento médico com prontidão, para acalmar os sintomas e prevenir maiores complicações.

De Santis Junior explica que no caso da Ecco Salva, o APH fornece cobertura 24 horas para atendimento tanto em situações de emergência como nas de urgência médica. O atendimento é realizado por unidades móveis específicas para cada tipo de caso e equipe médica especializada, que vai até onde o paciente esteja, desde que dentro da área de cobertura.

Atendimento em casa

Outra questão que precisa ser levada em consideração para o atendimento dos idosos, de acordo com o diretor-médico, é a estrutura oferecida e o treinamento da equipe. Nesse quesito, uma opção é o atendimento em casa, que leva a assistência médica para onde o paciente estiver e em qualquer horário. “Na atual fase de isolamento social e de Covid-19, mais pessoas perceberam a importância de um atendimento médico de qualidade no seu endereço, sem precisar se deslocar e também se expor aos riscos próprios de um ambiente hospitalar”, conta.

A Ecco Salva conta com o Saúde em Casa, como explica De Santis Junior. Trata-se de um plano complementar, especializado em atendimento domiciliar. “O atendimento é focado em cuidados especiais para pessoas que já possuem uma necessidade de atenção rotineiramente. É um processo e não apenas uma urgência ou emergência”, explica.

Além disso, há casos em que é necessária uma internação domiciliar. Nessas situações, é feita uma avaliação completa de todas as necessidades para manter o processo de internação e colocar à disposição no próprio lar toda a estrutura necessária. “Cada serviço precisa ser montado de acordo com a necessidade do cliente”, explica Juradilson.

Ele explica que a Ecco Salva conta com médicos, enfermeiros, técnicos, fisioterapeutas e outros profissionais da área da saúde para a cobertura completa de procedimentos. “Podemos manter pessoal 24 horas à disposição no local da internação e, ainda, com nossa estrutura de APH alerta”, afirma. Para isso, a tabela de valores varia de acordo com o tipo de serviço a ser executado. Não há limites de dias e validades especiais.

A Ecco Salva conta com 29 anos de atuação, sendo pioneira em atendimento pré-hospitalar. “Somos uma empresa de atendimento de urgência e emergência, mas que também atende a casos que não envolvam riscos de vida, não deixando nossos clientes sem uma avaliação mesmo nas situações mais simples”, afirma o diretor-médico da empresa.

Confira este conteúdo também na Gazeta do Povo.